Notícias

30/10/2017
“Precisamos nos unir e dar segurança jurídica às relações de trabalho”, diz ministro

“Precisamos proporcionar segurança jurídica às relações de trabalho em nosso país, parar de hipocrisia e fazer o enfrentamento necessário para gerar oportunidades para aqueles que não têm voz nem vez. Há muitos trabalhadores à espera de um endereço para trabalhar, de uma oportunidade de emprego”, disse o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, durante palestra proferida […]

“Precisamos proporcionar segurança jurídica às relações de trabalho em nosso país, parar de hipocrisia e fazer o enfrentamento necessário para gerar oportunidades para aqueles que não têm voz nem vez. Há muitos trabalhadores à espera de um endereço para trabalhar, de uma oportunidade de emprego”, disse o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, durante palestra proferida nesta segunda (30), na Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs).

O evento reuniu cerca de 150 pessoas, entre elas dirigentes das federações empresariais da indústria, comércio e agricultura. “Compreendo que uma nação se estabelece sobre três pilares: seguranças nacional, monetária e jurídica. E vamos continuar trabalhando para fortalecer esses pilares”, disse.

Durante a palestra, o ministro esclareceu dúvidas sobre a modernização trabalhista, que entra em vigor no próximo dia 11 de novembro. A nova lei trabalhista vai tornar mais amplas, seguras e inclusivas as relações de trabalho no Brasil, segundo Ronaldo Nogueira. O ministro destacou os três eixos da modernização trabalhista: segurança jurídica, garantia de direitos e geração de empregos.

O ministro também destacou, em sua palestra, que a economia brasileira está se recuperando. Falou sobre o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que por sete meses consecutivos apresenta dados positivos. “Aquele Brasil que perdia uma média de 100 mil postos por mês já está gerando 30 mil postos por mês. Hoje, nosso estoque positivo é de 164 mil postos de trabalho”, disse.

Logo após a palestra, o ministro participou de reunião-almoço com o presidente da Fiergs, Gilberto Porcello Petry, e seis vice-presidentes da entidade.

 

Fonte: Ministério do Trabalho

Ver mais notícias